Projeto de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

CÓDIGO - FRS-015

Para saber mais preencha o formulário abaixo:

Preencha o formulário abaixo para saber mais sobre FRIGORíFICO PARA ABATE DE SUíNOS E PRODUçãO DE EMBUTIDOS (SALSICHARIA, PRESUNTARIA, EMBUTIDOS E DEFUMADOS) - 100 ANIMAIS/DIA :



*



* com DDD código de área da cidade
*

 


 

Projeto de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia com as seções:

Tipo de Inspeção - Federal (SIF)
1º pavimento:
Insensibilização de suínos
Evisceração
Departamento de Inspeção Federal (DIF)
Ante-câmara
Túnel de congelamento
Câmara fria para estocagem de carcaças
Câmara fria para carcaças
Expedição de carcaças
Bucharia e triparia
Seção de miúdos
Câmara fria para miúdos
Embalagem de miúdos
Expedição de miúdos e tripas
Sala de desossa
Câmara de massa
Depósito de condimentos
Presuntaria e salsicharia
Depósito de amidos
Sala para limpeza de utensílios
Sala de cozimento
Estufa a vapor
Defumador
Sala para choque térmico
Câmara de cura para presunto e embutidos
Depósito de embalagem
Sala de embalagem
Controle e expedição
Câmara fria para produtos acabados
Expedição de carcaças e produtos acabados
Plataforma de expedição
Pavimento Inferior:
Seção de recepção para graxaria
Seção de recepção de casquilhos

Outros Setores Necessários para Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

 

Projeto e Plantas de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia:

1) Plantas em arquivo DWG de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia (pranchas em formato A0 ou A1), com:
  • Planta Baixa de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
  • Cortes
  • Fachada
  • Planta de Situação das Construções no terreno
  • Planta dos Escritórios, Vestiários, Refeitórios e outros Anexos do Empreendimento
2) Memorial Básico da Construção de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
3) Lista de Materiais da Construção e Orçamento da Obra de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
4) Cronograma Físico-Financeiro da Obra de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
5) Fluxograma de Produção de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
6) Lista de Equipamentos Principais de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
7) Projeto em 3D de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
8) Layout dos Equipamentos de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
OBS.: Alguns destes itens são serviços opcionais. Peça uma consulta.



Como Montar uma Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia Projeto e Planta Baixa

Outros Serviços Opcionais

Projetos com Outras Capacidades (maiores ou menores)
Como Montar Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
Projeto de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia
Planta Baixa de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia


Projeto de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

 

CLIQUE AQUI para saber mais sobre este Projeto e Planta Baixa de Como Montar Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

 

Projeto de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia


Como Montar Projeto e Planta Baixa de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

 

Outros Projetos para Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia SERVIÇOS EXTRAS OPCIONAIS:

  • Tabela de Informações Nutricionais para Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

  • Projeto Elétrico de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

  • Projeto Hidráulico de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia FRS-015

  • Projeto Hidrosanitário de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

  • Projeto de Cálculo Estrutural de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

  • EAP de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia - Estrutura Analítica de um Projeto de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia FRS-015 (Work Breakdown Structure WBS) e EaD para Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

    OBS.: Estes são serviços extras, não incluídos no Projeto Pronto.

FALE CONOSCO SOBRE ESTES SERVIÇOS EXTRAS (OPCIONAIS)


OUTROS PROJETOS:

Como montar Fábrica de Ração Pelitizada para Frangos com Capacidade de Produção de 100 kg por dia
DWG Fábrica de Patê de Frango com Capacidade de Produção de 10.000 kg por dia
PDF Distribuidora de Palmito com Capacidade para 500 kg por dia
Planta Baixa de Casa de Pão com 50 m2
Projeto de Proejto de Fábrica de Graxa de Sapato com capacidade para 300 kg/dia.
Como Montar Mercadinho com 300 m2
Viabilidade de Empresa de Transporte de Carnes e Derivados com Capacidade para 10 veículos
Plano de Negócio de Fábrica de Ração para Boi com Capacidade de Produção de 5.000 kg por dia
Planta Baixa Farmácia de Manipulação com área de 50 m2.
Como montar Flat com 10 quartos

Veja Como Montar Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia:

Outros Projetos:

Planta Baixa de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

Projeto e Layout de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

DWG Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia


Montar Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia em Machadinho - RS (População estimada 5.649 habitantes)
Alvará Sanitário Machadinho
Alvará de Funcionamento Machadinho
AVCB Machadinho
SIM e VISA Machadinho (Vigilância Sanitária e Inspeção)

Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia Padrão SEBRAE

Aprovação na Inspeção Estadual Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia (consulte)

Planta De Orientaçao Para Construçao Frigorifico

Defumadores Para Suinos

Processo De Abate De Suínos

Como Montar Um Sausicharia

Planta Frigorifico Suino Sif

Abatedouro De Suínos Fluxograma

Planta Baixa - Abatedouro De Suinos

Plantas Baixa De Industrias Embutidos

Modelo De Fluxograma De Suino

Plantas Baixa De Industrias De Embutidos E Defumados

Processo Planta Frigorifico

Departamento Financeiro De Frigorifico

Modelo Frigorifico Abate Suino

Planta De Orientaçao Para Construçao Frigorico

Cd De Cursos De Embutidos Suinos

Planta Baixa Da Construção Da Indústria De Embutidos

Fluxograma De Um Abate Suino

Setor Financeiro De Frigorífico

Processos De Abate De Suinos - Embalagem

Estrutura Para Abate De Suino

Ver Como Construir Um Frigorifico

Modelo De Planta Frigorifico De Suinos

Plantas Para Abatedouro De Suino

Estufas A Vapor Para Fabricas Embutidos

Expeção Federal De Suinos Dif

Abate De Suinos Dif

Estufa Vapor Cozimento De Embutidos

Maquinario Para Embutidos De Suino

Controle Financeiro Frigorifico

Planta Fluxograma De Embutidos

COMO MONTAR FRIGORIFICO PARA ABATE DE SUINOS E PRODUCAO DE EMBUTIDOS (SALSICHARIA, PRESUNTARIA, EMBUTIDOS E DEFUMADOS) - 100 ANIMAIS/DIA


e) a separação da faringe e laringe somente poderá ser procedida após a liberação da língua pela Inspeção
Federal.
3.5 - "Linha D"- Inspeção dos pulmões e fígado
3.5.1 - Fase preparatória:
Retirar os pulmões da cavidade torácica juntamente com a traquéia, esôfago e o coração, fígado e lingua e
depositar o conjunto em sua bandeja específica na mesa de inspeção. Retirar o fígado mantendo sua
integridade física preservando os nodos linfáticos.
Evitar o rompimento da visícula biliar o que, casa aconteça implicará na condenação do órgão e demais
partes atingidas. Depositar com o devido cuidado o fígado em sua bandeja específica na mesa de
Inspeção.
3.5.2 - Técnica de Inspeção
3.5.2.1 - dos pulmões:
a) examinar visualmente a superfície dos pulmões, traquéia e esôfago;
b) fazer a palpação;
c) cortar os nodos linfáticos Apical , Brônquicos e Esofágicos em lâminas longitudinais, sem contudo
picá-los, conforme está descrito na alínea "c", item 3.1.2.1 deste capítulo;
d) incisar os pulmões a altura da base dos brônquios e bronquiolos a fim de permitir a exploração da luz
bronquial, que será feita visando verificar o estado da mucosa, constatação de mestastrongilose,
bronquiopneumonia, aspiração de sangue, água ou bronqueopneumonia. Cortar o parênquima quando
necessário;
e) condenar os pulmões que apresentem alterações patológicas ou acidentais, sem efetivas implicações
com a carcaça, nem com os demais órgãos, tais como bronquiopneumonia, adenites inespecíficas,
enfizemas, aspiração de sangue e água, congestão, contaminações etc.;
f) assinalar as condenações no quadro marcador (des. nº 18), transferindo os resultados destas marcações
para a papeleta "modelo B3";
g) quando forem encontradas lesões que possam ter implicações com a carcaça e órgãos, proceder com os
pulmões exatamente como para o fígado na alínea "g" do item daquele capítulo.
3.5.2.2 - do fígado
a) examinar visualmente as fases do órgãos;
b) realizar a palpação;
c) cortar transversalmente e comprimir os ductos biliares;
d) cortar em lâminas longitudinais (sem picar) os nodos linfáticos da víscera;
e) examinar visualmente e através de palpação a vesícula biliar, incisando-a, se necessário separadamente
em local próprio;
f) condenar totalmente ao nível da "Mesa de Inspeção o fígado, ou eliminar suas porções lesadas,
conforme apresentem respectivamente, formas difusas ou circunscritas previstas na legislação, das
afecções que não têm implicações com a carcaça e com os demais órgãos, tais como: congestão,
hidatidose, ascaridiose e Cisticercus tenuicólis, etc. Nestes casos ,assinalar as condenações no quadro
marcador ( des. nº 18 ). Condenar os fígados eventualmente contaminados com o conteúdo
gastro-intestinal;
g) marcar com chapinha cor vermelha, (tipo I) no preciso local da lesão ou lesões, que possam ter
implicações com a carcaça e os outros órgãos (tuberculose, perihepatite, cerosite ou neoplasias).
Identificar a peça e notificar as demais linhas de "Mesa de Inspeção", para proceder a separação e
marcação com chapinhas de número idêntico, dos órgãos e carcaça correspondentes, para a remessa à
Inspeção Final.
3.6 - "Linha E" - inspeção de carcaça:
3.6.1 - Fase preparatória Dividir a carcaça em duas metades ao longo da coluna vertebral, trabalho que
será executado através de serra ou outro método aprovado do DIPOA .
3.6.2 - Técnica de Inspeção
a) exame visual das porções interna e externa das meias carcaças, verificando o aspecto, coloração, estado
de nutrição, pele, serosas abdominal e torácica e superfícies ósseas expostas;
b) verificar se há anormalidades nas articulações e massas musculares, realizando cortes quando
necessário;
c) examinar se existem contaminações de origem gastro-intestinal ou biliar, contusões, abscessos,
hemorragias, edemas circunscritos ou generalizados. Quando as lesões encontradas, ou a área porventura
contaminada forem superficiais e localizadas, fazer a condenação das partes atingidas e deixar a meia
carcaça seguir o seu trajeto normal. Em caso porém de anormalidade mais pronunciada, desviar a carcaça
para a Inspeção Final;
d) observar se há rigidez muscular;
e) examinar, esfoliando com a faca, os nodos linfáticos inguinal superior (ou retromamários) e ilíaco
anterior e posterior, evitando excisá-los ou mesmo deslocá-los, em consideração ao interesse das futuras
reinspeções;
f) quando for o caso, examinar as glândulas mamárias, incisando-as profundamente, encaminhando-as
quando for constatada lactação ou mamites, para a Inspeção Final a carcaça;
g) No caso de animais descartados da reprodução, deve ser feita a pesquisa da cisticercose no diafragma,
mesmo que esta parasitose não tenha sido detectada nas demais linhas de inspeção;
h) as carcaças cujas causas de apreensão determinam seu desvio para a Inspeção Final, são marcadas nos
locais das lesões com chapinhas vermelhas "tipo 1", colocando-se ainda as chapinhas numeradas "tipo 2",
cujo número deve manter a intercorrespondência com as vísceras;
Quando for uma causa de ordem geral como caquexia, "cor amarela" ou
específica como melanose, criptorquidismo, etc., a marcação será feita, tão somente, pelo uso de
chapinhas numeradas "tipo 1 e 2" colocadas na carcaça (peito) e nos respectivos órgãos.
3.7 - "Linha F" - Inspeção de rins:
3.7.1 - Fase preparatória Libertar os rins da gordura peri-renal e da sua cápsula sem nunca desprendêlos
da carcaça.
3.7.2 - Técnica de Inspeção a) retirar os rins da carcaça examinando-os visualmente, apalpando-o e
apreciando a sua coloração, aspecto, volume e consistência, destinando-os, após, às bandejas específicas;
b) incisar, quando necessário, a gordura peri-renal, visando a pesquisa de estefanurose;
c) cortar o parênquima, se necessário, verificando o estado das camadas cortical e medular;
d) condenar os rins cujas causas de rejeição não determinem a apreensão da carcaça (congestão, quistos
urinários, nefrite, infarto, estefanurose, etc.) e computar as condenações no quadro marcador próprio (des.
nº 18 ), transportando estes dados para a papeleta "modelo B4". No caso de lesões que possam ter relação
patológica com a carcaça (peste suína, abscessos por Stefanurus spp, peritonite, etc.) deve-se proceder o
exame sem retirar os rins, marcando-os com chapinhas vermelhas "tipo 1", e as carcaças e vísceras
correspondentes, de interesse da Inspeção Final, com as chapinhas numericas "tipo 2" enviando todo o
conjunto à Inspeção Final.
3.8 - "Linha G" - Inspeção de cérebro:
Será obrigatoriamente realizado quando comercialize ou industrialize o cérebro.
4 - ESQUEMA OFICIAL DE TRABALHO NA INSPEÇÃO FINAL
A instalação da Inspeção Final na sala de matança, de acordo com as especificações contidas no item 19
do Capítulo I, é de caráter obrigatório. O Médico Veterinário chefe de Inspeção na sala de matança, é o
executor técnico responsável pelos seus trabalhos.
Destina-se à Inspeção Final a recepção das carcaças e vísceras marcadas nas diversas Linhas de Inspeção,
para, tendo como ponto de partida as causas por elas assinaladas, serem minuciosamente examinadas pelo
Médico Veterinário e receberem, depois de firmado o seu julgamento, a destinação conveniente. O exame
em síntese consiste em uma completa e atenta revisão daqueles praticados nas Linhas de Inspeção,
comportando, ainda, eventualmente, pesquisas mais profundas, que permitam ao técnico bem
fundamentar suas conclusões. É ainda para a Inspeção Final que são desviadas as carcaças contundidas,
sempre que a extensão das lesões não permita ou não indique a respectiva excisão na "Linha E". Tais
carcaças de acordo com o seu estado e a juízo do Médico Veterinário, ou serão condenadas ou terão
aproveitamento condicional, depois de receberem a respectiva "limpeza". A providência preliminar no
exame das peças é a verificação da Intercorrespondência das vísceras e da carcaça, possível e fácil graças
ao sistema de marcação estabelecido com as chapinhas numeradas "tipo 2".
A seguinte é o reconhecimento da localização da causa que motivou o envio da carcaça e vísceras à
Inspeção Final, pela verificação da chapinha vermelha colorido ("tipo 1" indicador da lesão). Já, pela
posição da chapa numerada( "tipo 2"), na carcaça (paleta, peito, parede abdominal ou região inguinal),
pode-se previamente identificar em que região se constatou a causa, o que facilita a localização da
chapinha vermelha pelo Médico Veterinário.
Como já ficou evidenciado no item 2.3 deste capítulo, a higienização das chapinhas far-se-á à medida que
vão sendo retiradas das vísceras e carcaças.
A medida que forem sendo realizados os trabalhos da Inspeção Final os dados correspondentes serão
lançados ha "papeleta de exames da Inspeção Final" (modelo B5 e G 1), uma para cada lote.
Esquematicamente os exames realizados na Inspeção Final consistem de:
4.1 - Exame da cabeça:
a) verificação das superfícies musculares expostas pelos cortes, praticados nos masséteres e pterigóideos e
novas incisões nos mesmos, para completar a pesquisa de cisticercose;
b) revisão dos nodos linfáticos parotidianos e das glândulas parótidas com novas incisões, se necessário;
c) observação das superfícies ósseas expostas (caso do corte sagital mediano na cabeça);
d) verificação do aspecto das mucosas;
e) exame dos orifícios naturais.
4.2 - Exame da língua
a) exame visual da língua, faringe, laringe e tecidos adjacentes;
b) palpação;
c) exame das glândulas salivares, incisando-as se necessário;
d) cortes longitudinais na musculatura lingual pela face ventral para a pesquisa de cisticercose e
sarcosporidiose.
4.

Como Legalizar Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

Abertura da empresa: Contrato Social, Junta Comercial, CNPJ, Inscrição Estadual, Alvará de Funcionamento para Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

Passo a Passo para abrir Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

Projeto de aprovação na prefeitura para o Alvará de Construção de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

Projeto de Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) de Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) em Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia

PPHO para Frigorífico para abate de suínos e Produção de Embutidos (salsicharia, presuntaria, embutidos e defumados) - 100 animais/dia